30/05/2017

Um brinde à amizade

Um jantar com amigos, as compras, a espera, as conversas divididas entre a cozinha e a sala. As gargalhadas espalhadas por toda a casa e as histórias contadas pelo vinho e pela comida. Memórias construídas nos abraços e sorrisos. Noites onde se volta mas que nunca se repetem. Os jantares com amigos são sempre especiais mesmo que se repitam centenas de vezes num ano.
Um brinde à amizade!
Galeria completa em LucieLu Photography

28/05/2017

Sardinha - Festas de Lisboa 2017

Esta foi a minha contribuição no Concurso de Sardinhas 2017, promovido pela EGEAC.
Não sou designer nem domino os instrumentos de criação e edição de imagem, mas gostava muito de ter formação nessa área! Ainda assim diverti-me muito a criar esta sardinha com sardinhas fora da lata, com grande lata, a lutarem contra a corrente.

O programa das Festas de Lisboa já está disponível. O difícil é escolher o que se quer fazer!

As sardinhas vencedoras podem ser vistas aqui.

24/05/2017

Ventania no coração

Cabelos ao vento.
Alma espalhada pelo mundo.
Poeira de existir até à ponta dos cabelos.

Sei que por vezes tenho ideias loucas como tirar fotografias à toa num carro em andamento. Que os cabelos desarrumados ora arrumam as ideias, ora as ideias fazem nós de tanto esvoaçar. Sorrio à vida. Sorrio à minha vida. Na certeza que o caminho se faz caminhando, por caminhos e atalhos, mas nunca parada.
Perco-me no tempo, perco tempo, dilato o tempo. E temo não o aproveitar. Vivi demasiados anos presa à imagem do que achava ser, com medo de cabelo despenteado e medo de errar. Mas uma pessoa muito bonita disse-me recentemente:
"Se está preocupada em ser quem não é, corre o risco de não ser quem é."
E há tanta verdade nestas palavras. Mas qual é a minha verdade?
A Rita escrevia hoje que A vida não é um Quiz, mas eu sinto-a muitas vezes assim. Quando eu tiver as respostas todas aí sim, vou conseguir. Quando eu souber y vou alcançar x. No dia em que eu conseguir fazer qualquer coisa vou descobrir A resposta.
Ainda assim, neste processo de construção vou descobrindo que o mais importante é o processo, é o caminho, é a vida vivida e construída. Não é a vida que crio na cabeça onde falhar está sempre em grande plano e o viver fica escondido com medo de aparecer...
É urgente sacudir os cabelos e, como alguém me diz ao coração, circular e pôr-me a jeito. A vida só acontece a quem não tem medo de aparecer.
Serei capaz?

18/05/2017

52 coisas que aprendi sobre viagens

(completamente aleatório)

1- O destino é importante mas não é tudo. Aproveita o caminho até lá.
2- Descobres coisas sobre o teu país.
3- Uma mochila é melhor que um trolley.
4- Não te esqueças que pode haver alguém que compreende o que dizes...
5- Se estiveres muito cansado ou souberes que vais dormir pouco e tens um avião para apanhar no próximo dia, assegura-te que tens mais que um alarme a tocar.
6- O que conta são as experiências.
7- Se perguntam se queres um saco, pensa bem, o mais provável é não ser gratuito.
8- Somos tão iguais e tão diferentes dos outros povos.
9- Se procuras um souvenir, experimenta as lojas de artesãos locais.
10- A câmara fotográfica pode registar os monumentos mas não te esqueças de registar os viajantes.
11- Para não esquecer, escreve o nome daquela coisa que gostaste de comer, naquele restaurante pequenino, naquela rua fora do centro.
12- Pede dicas a amigos que já conheçam os locais para onde vais, mas não cries muitas expectativas.
13- Os 'piores' momentos geralmente tornam-se nas melhores memórias.
14- Desenhar e escrever são boas maneiras de registar a viagem.
15- Sapatos confortáveis são imprescindíveis.
16- Se o restaurante estiver cheio de locais, deve ser o melhor sítio para comer.
17- Um casaco cheio de coisas nos bolsos, dentro de um casaco cheio de coisas nos bolsos que está dentro de outro casaco cheio de coisas nos bolsos, arranca sorrisos ao senhor que fiscaliza o raio-x.
18- O CouchSurfing é uma excelente forma de conhecer pessoas e fazer coisas diferentes (bonus: free bed).
19- Ter um mini saco-cama dá muito jeito.
20- Se puderes caminha.
21- O protetor solar, um chapéu/gorro e uns óculos de sol são sempre algo a considerar pôr na mochila independentemente do clima.
22- Amigo não empata amigo. Viajar em grupo pode ser 'perigoso' se não estiveres no mesmo comprimento de onda.
23- Tem o número de telefone da pessoa onde vais ficar.
24- A comida portuguesa é das melhores do mundo.
25- Há mapas e mapas.
26- O pequeno-almoço do hotel pode ser bem adaptado (e escondido) para o almoço.
27- Melhor aproveitar duas experiências interessantes do que riscar 10 itens da lista de monumentos a ver.
28- Menos é mais. [Travel Light]
29- Viajar sozinho não é um problema.
30- Não te esqueças da garrafa de água. [Leva também umas bolachas!]
31- Escolher fotografar um local apenas a preto e branco, conduz o teu olhar para coisas não óbvias.
32- Os aviões da RyanAir são feios por dentro.
33- Se estás a fazer escala toma alguma atenção aos avisos/painéis.
34- Um bom casaco faz milagres.
35- Anywhere Travel Guide é o melhor guia de sempre, independentemente da cidade onde estás.
36- O sorriso é a linguagem universal.
37- A ausência de expectativas torna os lugares mais bonitos.
38- O Smartphone ajuda a poupar dinheiro. Usa o Skype, através da Wi-Fi gratuita (do aeroporto, do hostel, do restaurante...), liga para casa a custo zero.
39- Não ir à casa de banho, nos aviões, nos momentos anteriores ao serviço de refeições.
40- Independentemente do destino, aprendem-se sempre coisas novas sobre tudo e mais alguma coisa.
41- Os mercados são bons sítios para observar os locais nas suas rotinas diárias.
42- Vê os horários dos monumentos. Tenta confirmar se estão mesmo abertos ou se estão em remodelações.
43- As coisas interessantes ocorrem fora da zona de conforto turística.
44- Olha para cima.
45- Há países em que utilizar a casa de banho se paga.
46- Não esquecer dos carregadores (telemóvel e máquina fotográfica).
47- As FreeWalkTours geralmente mostram lugares inusitados e histórias da cultura popular.
48- Se tiveres mais tempo que dinheiro o autocarro pode ser uma boa opção de viagens entre países.
49- Planear ajuda a que tudo corra bem, mas sentir o momento sabe ainda melhor.
50- Quando estás indeciso sobre o que comer numa loja pergunta a quem está a atender qual é sua a coisa favorita, se gostares dos ingredientes que leva e se estiver dentro do orçamento- Arrisca!
51- Aprende a dizer Obrigada na língua do país onde estás.
52- Viajar é mesmo a única coisa que compras que te torna mais rico.

16/05/2017

I care. Do you care? Shoul I care?

Há três meses escrevia sobre os novos desafios num novo trabalho... Uma ida ao Porto e dois trabalhos depois... tenho dificuldade em encontrar o equilíbrio de quem se quer sentir integrada e ao mesmo tempo lhe é difícil encaixar em todos os mecanismos estabelecidos.
Cada vez mais chego à conclusão que desejo e trabalho para controlar as coisas, mas há qualquer coisa dentro de mim que rejeita isso, que se demite, que quer ser vulnerável, imprevisível, fora da norma. Oscilo entre tirana e anarca de mim própria. Analiso à exaustão o que faço, o que não fiz e o que deveria fazer. Perco demasiado tempo a pensar naquilo que os outros lêem em mim... Boicoto-me tantas vezes! Como parar o processo?
Eu só queria ser mais aventureira! Sair! Fugir! Não ter medo de arriscar, não ter medo de me partir.
Quero a serenidade de um fim-de-semana no Porto, sem planos traçados, só estar e ver o que apetece... Haverá receita para ser livre de mim?

(Aurora quando é a próxima viagem?)

12/05/2017

Marina

Olho-te com estes braços que te envolvem. Abraço-te com estes olhos que adormeço. Sei de cor o caminho para este amor que construímos. Sorrio-te com a barriga de quem sabe o que é sentir borboletas na boca. Escuto-te com o cabelo como quem faz tranças com as palavras para ouvir melhor. Caminho-te sempre que me deixares dar-te as mãos.

Feliz ano novo meu amor. Sabes que todos os dias sou grata pelas nossas vidas se terem tricotado de uma maneira tão bonita. As palavras são insuficientes para ilustrar a pessoa bonita que és e a capacidade que tens de transformar o mundo à tua volta.

Não te comprei nenhum presente, não te fiz nenhuma surpresa, mas tenho tempo para ti! Sempre! E se o tempo não chegar partirei todos os relógios do mundo para isso mudar.

Dei-te os parabéns à meia-noite e três, num carro, à chuva. Tu a levares-me a casa, nós a virmos do teatro, um até já, na promessa de um jantar em tua casa... Haverá retrato mais fiel da dinâmica que é existirmos na vida uma da outra? 

A certeza que a vida me deu a melhor amiga que alguém poderia ter e sinto-me muito grata por continuarmos a envelhecer juntas.

#atévelhinhas?

04/05/2017

Poetry Slam Lisboa

Gosto de ouvir os poetas Sarah Kay e Phil Kaye que interpretam poesia (poderiam ser irmãos, ou um casal, mas são só amigos. Podem ver aqui como tudo começou e de como a história se toca em tantos pontos).
A spoken poetry/poetry slam (poesia interpretada) também existe em Portugal. Tenho que ver se consigo ir aos próximos eventos do PortugalSLAM!, e quem sabe um dia interpretar a poesia que ainda está por escrever neste coração desregulado. Alguém gostava de vir também?
O meu primeiro contato com este tipo de poesia foi com a Sarah Kay (TED Talk)

Mas o meu preferido é este:
When Love Arrives
Este faz-me sentir o amor como ele é. Imperfeito e esquisito. Descompassado. Diferente. Improvável. Estatisticamente improvável. Sem regras. Sereno e agistado. Como imagino que o amor seja. E oiço-o uma e outra vez, quase que o sei de cor. E as palavras atropelam-se... Haverá capacidade para decifrar o que está enterrado há tanto tempo?

02/05/2017

1 second everyday - Abril 2017


Destaques:
- Jantar com a Sara;
- Almoço com a Mariana;
- Almoço de Páscoa com a família;
- Boleia de mota;
- Sessão de fotografias na Gulbenkian;
- Um lanche com a Sofia.

Parece que este mês girou à volta da comida!

*dia 26 de abril não gravei nada, esqueci-me!

1SE - 1 SECOND EVERYDAY
Android App on Google Play: http://bit.ly/1SEGooglePlay
iOS App available on the App Store: http://bit.ly/WyaMIB
Lucie Lu © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.