14/06/2017

II Cartas a Sofia

(resposta à carta da Sofia)

Lembro-me do domingo de dilúvio, não tinha festa há mais de vinte anos. O meu interior flamejava. Queria ajuda, sou ótima a boicotar as minhas escolhas. É mesmo como dizes: "Fome e sede." E eu sem saber o que fazer. O que escolher. Por quê escolher?

O poema que te trago foi o primeiro que conheci de Daniel Faria
em Homens Que São Como Lugares Mal Situados (1998)

As mulheres aspiram a casa para dentro dos pulmões
E muitas transformam-se em árvores cheias de ninhos - digo,
As mulheres - ainda que as casas apresentem os telhados inclinados
Ao peso dos pássaros que se abrigam.

É à janela dos filhos que as mulheres respiram
Sentadas nos degraus olhando para eles e muitas
Transformam-se em escadas

Muitas mulheres transformam-se em paisagens
Em árvores cheias de crianças trepando que se penduram
Nos ramos - no pescoço das mães - ainda que as árvores irradiem
Cheias de rebentos

As mulheres aspiram para dentro
E geram continuamente. Transformam-se em pomares.
Elas arrumam a casa
Elas põem a mesa
Ao redor do coração.

A música que partilho é esta:
Blossom Dearie -- Try Your Wings
Eu que me recuso a usar estas asas...

Beijinhos,
LucieLu

-

1 comentário:

  1. desconhecia por completo este poema mas, esta parte
    "Muitas mulheres transformam-se em paisagens
    Em árvores cheias de crianças trepando que se penduram" é absolutamente poderosa. até engoli em seco.

    beijos
    Vânia
    Lolly Taste

    ResponderEliminar

Lucie Lu © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.